Museu do Pão, Ilópolis, RS



Até há pouco tempo o roteiro turístico gaúcho se restringia à região da serra, às missões e ao Itaimbézinho. Não mais. A partir de fevereiro de 2008 passou a existir uma interessante alternativa, uma nova rota turística e cultural chamada de Caminho dos Moinhos.

Por iniciativa de uma série de pessoas iluminadas, aliadas à Associação dos Amigos dos Moinhos do Alto do Vale do Taquari e com o apoio decisivo da Nestlé, decidiu-se recuperar uma série de moinhos coloniais ainda existentes na região central do Rio Grande do Sul, e integrá-los como parte de um circuito turístico e cultural.

Além da recuperação dos moinhos, o projeto prevê a construção de atividades complementares junto a cada um dos moinhos.
O primeiro ponto do Caminho dos Moinhos acaba de ser inaugurado em Ilópolis. Trata-se do Moinho Colognese, junto ao qual foi construido o Museu do Pão e a Escola de Panificação.
Esse pequeno conjunto vale o esforço de um deslocamento de duas horas e meia até Ilópolis. O moinho, recuperado com competência e funcionando plenamente, é emoldurado por uma edificação nova que se encaixa perfeitamente no local, sem qualquer extravagância ou espetacularidade.
O edifício que abriga o Museu do Pão e a Escola de Panificação, de autoria do escritório paulista Brasil Arquitetura (Marcelo Ferraz e Francisco Fanucci) é fruto de um projeto respeitoso, correto e integrador, sem deixar de ter caráter próprio e identidade formal. Não há nessa obra qualquer sentimentalismo barato, nenhuma tentativa de criar um filhote do moinho ou parecer “colonial”. Se trata de arquitetura moderna da melhor estirpe, realizada com materiais e técnicas correntes. Um raro exemplo em que a personalidade do arquiteto desaparece por trás da obra, que é o que realmente importa.
É reconfortante encontrar neste estado um programa cultural de tal relevância, concretizado com o auxílio de arquitetura de tal qualidade. É, nos dois âmbitos, a melhor coisa acontecida no RS em muitas décadas.
Para mais imagens do Museu do Pão, veja o slide show abaixo.

____________________

OBS.: Comentários são muito bem vindos e será um prazer respondê-los mas só serão publicados e respondidos aqueles que tiverem autoria (nome + email, por favor). Obrigado.





8 comentários:

Prof. Juliano Vasconcellos disse...

É incrível como uma comunidade que está interessada em arquitetura pode conseguir um impulso no seu turismo (e até na sua auto-estima), a partir de uma projeto de qualidade. Ilópolis (cidade de apenas 4 mil habitantes), é destaque nas duas maiores revistas de arquitetura do país e dia 26 do corrente, receberá a visita do curso de Arquitetura e Urbanismo da Feevale, pois também achamos que vale a visita.

Mais em:
http://arqfeevale.wordpress.com/

Jorge Luís Stocker Jr disse...

Muito bom ver uma de nossas cidadezinhas em evidência, em consequência de um projeto arquitetônico de qualidade.

Que isso sirva de exemplo pras demais cidades, inclusive as da serra gaúcha, que pra atrair turistas desavisados, criam verdadeiras disneylândias, deixando pra trás o que realmente importa e perdendo a oportunidade de ter uma construção tão coerente quanto a antiga foi à sua época, e valorizando o verdadeiro patrimônio histórico.

Juliano disse...

Publiquei um vídeo do Museu do Pão no blog:

http://arqfeevale.wordpress.com/

jully_anne disse...

Professor Mahfuz
muito bom encontrar um blog seu por aqui!
sou aluna de arquitetura da Ufpb e sempre lemos os seus textos durante as aulas!
=)

Em relação ao post
o projeto é maravilhoso sim!
tive a oportunidade de assistir a uma palestra do Marcelo Ferraz onde ele expôs esse projeto e alguns outros sobre restauração muito interessantes!
é um trabalho incrível!

O blog é uma iniciativa louvável!
serei frequentadora assídua a partir de hoje!

Parabéns pelo seu trabalho!
Abraços

Lucas Jordano disse...

Bom, não é um comentário. É apenas uma pergunta: Seria possível dar uma espiadela em um outro blog de arquitetura, um tanto ingênuo talvez, mas com determinação? E, quem sabe, comentar algo por lá sobre o último post?

Sou arquiteto e estou cursando o mestrado na UnB e esse blog é de um amigo, também arquiteto, que trabalha em Recife. Apesar da área dele ser Patrimônio Histórico (onde inclusive participou das restaurações dos edifícios antigos que faziam parte da proposta de Paulo Mendes da Rocha em Recife, para o Paço Alfândega e para a Capela de Francisco Brennand), ele se compromete sempre a questionar o problema da valoração da arquitetura, porém, o blog não tem recebido críticas. Eu escrevi um comentário na última postagem dele e em uma das primeiras.

Se o Sr. pudesse colaborar, seria muito bom.

Aproveito para perguntar se o Sr. não conhece nenhuma livraria que ainda disponha do "O clássico, o Poético e o Erótico", que não estou mais encontrando para vender. Como consegui com o Vicente Wiessenbach um exemplar do livro La Arquitectura de Ruy Ohtake, que todos disseram não ser mais possível encontrar, então eu não perdi as esperanças de conseguir esse seu título.

Obrigado pela atenção.

Segue o link para o blog referido: http://pvaladares.wordpress.com/

LUCAS JORDANO
E-mail: lucasjordano@yahoo.com.br

clara disse...

Impressão minha ou o Museu já foi pichado? Aquele desenho em azul que aparece em um dos slides parece uma pichação... Será?

Tiago disse...

Pichado? n né!! pelo amor de Deus, procure conhecer um pouco mais sobre o projeto antes de postar uma pergunta dessas... o desenho faz, nao só parte da arquitetura, mas de todo um contexto histórico. é genial a solucao adotada. e a pequena cidade de Ilópolis, que tive o prazer de conhecer, é muito orgulhosa dessa obra. jamais qualquer cidadao teria a coragem de pichala. e mesmo que alguem fizesse, n passaria despercebido.

Beta disse...

não é pichado não.. faz parte do contexto!